MINI E PEQUENOS NEGÓCIOS SEGUEM LIDERANDO AS CONTRATAÇÕES DO FNO EMERGENCIAL

Nos acompanhe em tempo real:
Compartilhe nas redes sociais:
22/06/2020 17h04
0 Comentários

O Banco da Amazônia (Basa) contratou até esta sexta-feira, 19 de junho, R$ 3,7 bilhões com recursos de fomento, sendo R$ 3,5 bilhões do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), principal crédito de fomento na região desde em que foi lançado há 30 anos. Parte desses investimentos veio do FNO Emergencial, linha de financiamento lançada na segunda quinzena de abril, responsável por injetar na economia regional, nos dois últimos meses, R$ 121,2 milhões.

            Desse total, os mini e pequenos negócios seguem na liderança das contratações. Juntos, esses segmentos receberam créditos nos valores de R$ 109,8 milhões, ou seja, 92,8% de todo os recursos do FNO Emergencial. Para Valdecir Tose, presidente do Basa, a destinação final dessa linha demonstra que o banco tem cumprido com o objetivo de assegurar que os proprietários de pequenos negócios consigam um fôlego maior diante do cenário de crise ora instalado por conta da COVID-19.

            “O desenvolvimento sustentável da região que buscamos passa, sem dúvida nenhuma, pelo fortalecimento desses mini e pequenos empreendimentos. E o FNO Emergencial é uma linha que se soma aos demais financiamentos do Basa, mas, que se diferencia porque oferece condições muito mais vantajosas nesse momento de pandemia”, relata o gestor.

            Destinada a setores do comércio, serviço e indústria localizados em municípios em estado de calamidade pública decretada por conta da pandemia do coronavírus, o FNO Emergencial atende empresas que precisam de recursos para investimento ou capital de giro, ofertando taxa diferenciada de 0,21% ao mês.

            Para quem precisa investir, o limite de crédito é de até R$200 mil. Já para capital de giro, o financiamento é de até R$100 mil. Para o MEI, o valor para financiamento é de até R$ 20 mil e, para capital de giro, de até R$ 5 mil. As microempresas podem financiar até R$ 40 mil.

            O prazo de financiamento para investimento é de até 12 anos, incluída a carência que se estende até 31 de dezembro de 2020, ou seja, o tomador só começa a pagar a partir de janeiro de 2021. Para capital de giro, o prazo é de até 24 meses, também com carência até o último dia deste ano e início de pagamento para janeiro do ano vindouro. Quanto às garantias, essas dependem da avaliação do crédito a ser concedido.

            Em tempo de pandemia, o Basa facilitou o acesso ao FNO Emergencial dispondo em seu site www.bancoamazonia.com.br um link direto para solicitar o financiamento. Como é preciso ter cadastro junto à Instituição, também foi criado o aplicativo Sua Conta Basa, inicialmente disponível na loja da Google Play. Por meio desse app, é possível abrir uma conta, enviar a documentação necessária e, na sequência, após aprovado o cadastro, solicitar o FNO Emergencial.

 

NÚMEROS DO FNO EMERGENCIAL

            Nesses dois meses de lançamento no mercado, o FNO Emergencial já efetivou 1.560 operações. Dessas, 1.144 foram para o fomento de atividades do comércio (73,33%), com R$ 90,3 milhões investidos no setor. Em seguida, com 283 operações (18,14%) e volume aportado de R$ 20 milhões, está o ramo de serviços, depois a indústria, com 131 financiamentos (8,40%) e aporte de R$ 10,5 milhões, e o setor de agricultura, com duas operações (0,13%) no valor de R$ 200 mil.

            A maior parte dos recursos serviu ao financiamento de capital de giro, demonstrando, com isso, que os empreendedores tomaram o crédito para resolver problemas emergenciais à manutenção do próprio negócio. Do total aportado na economia regional, R$ 115 milhões (96,47%) foram utilizados em 1.505 operações de capital de giro. O restante, R$ 6,1 milhões (3,53%), serviu para financiar 55 operações de investimentos.

            Empreendedores do Pará, Rondônia e Tocantins seguem como os estados que mais contrataram o FNO Emergencial. Nesses lugares foram feitas 459, 347 e 281 operações, mobilizando um total de R$ 36,3 milhões, 26,4 milhões e R$ 20,6 milhões, respectivamente. No Amazonas, houve 212 financiamentos, no total de R$ 17,2 milhões. No Acre, foram 189 operações, com um volume total de R$ 15,3 milhões. E, em Roraima e no Amapá, foram feitas 39 e 33 operações, com volumes totais de R$ 2,7 milhões e 2,4 milhões investidos.

 

PRONAMPE

No próximo dia 29 de junho, o Banco da Amazônia disponibilizará mais uma linha de crédito voltada aos pequenos negócios: o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. O Pronampe é um programa do Governo Federal destinado ao desenvolvimento e o fortalecimento dos pequenos negócios realizados por microempresas e empresas de pequeno porte.

 

Texto:
Gostou?
  • (0)
  • (0)
Compartilhe:

0 Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
Caracteres restantes: 700
 
  • Nenhum comentário publicado.